Tudo é Ofensivo!

Published by:

Isto é ofensivo.
Aquilo é ofensivo.
Ele é ofensivo.
Ela é ofensiva.
Eles são ofensivos.
Nós somos ofensivos.
Todos são ofensivos.
Sem ofensa.
Não quis ofender.
Você se ofendeu? Eu me ofendi.
Eu fiquei um tanto ofendido.
Você me ofende!
Eu te ofendi?
Não pretendi ofender.
Não se ofenda.

Linguagem ofensiva.
Conteúdo ofensivo.
Assunto ofensivo.
Piadas ofensivas.
Cachorros ofensivos latindo no fundo.
Tudo… é… tão… ofensivo.

Ofensivo para heterossexuais.
Ofensivo para homossexuais.
Ofensivo para bissexuais.
E assexuados.
E trissexuais.
E omnissexuais.
E todo outro tipo de sexuais por ai.

Ofensivo para pretos, para brancos, para latinos,
para judeus, para árabes,
para cada raça no planeta.

Ofensivo para marxistas e fascistas,
e liberais, e conservadores,
e feministas, e libertários.

Ofensivo para cada ideologia no mapa.

Ofensivo para cristãos, muçulmanos,
judeus, pagãos, wiccas, satanistas
e ateus, assim como eu.

Feministas se ofendem quando eu olho
para sua bunda em público.
E eu me ofendo quando elas me
chamam de gordo pateta.
E todos à nossa volta ficam ofendidos
por nossa exibição pública de animosidade.

E cristãos conservadores estão ofendidos
por você assistir pornografia no computador.
Hei, feministas estão ofendidas
por isso também, vai entender?

Para mim parece que ficar ofendido
é uma coisa perfeitamente natural.

Somos todos seres humanos com inseguranças
e certas coisas nos massageiam erroneamente,
como uma massagista inexperiente
numa casa de massagem asiática.

Mas não se preocupe pois esta
história ainda pode ter um ‘final feliz’!

Nós temos de reconhecer uma básica
pequena verdade primordial sobre nós mesmos:
que nós nos ofendermos…

(Cody, me dê uma bateria aqui!)
tudumss

Sim, assim está bom.
Rufar de tambores legal.

Nós estarmos ofendidos…
É…
Absolutamente…
SEM SENTIDO!

Como se eu tomasse isso por um fato,
pessoas me dizem que os filmes do Crepúsculo
são bons filmes, eu me ofendo.

Mas eu não começo uma maldita campanha
para banir estes filmes dos cinemas.

Quero dizer, eu poderia fazer isso e eu
provavelmente teria um monte de pessoas
me ajudando,
mas estas pessoas seriam idiotas!
Porque eles são pessoas que acham que
seu critério é mais importante que
os direitos das outras pessoas de experienciar
qualquer besteira que queiram experienciar.

Eu me ofendo bastante.

Eu me ofendo pela estupidez da minha espécie
e eu divido minha frustração
com vocês,
e você pode pegar ou deixar
de acordo com sua própria vontade.
Mas, no momento em que eu começo
a curvar coisas que eu não gosto
simplesmente porque eu não gosto delas,
eu perco toda credibilidade.
E não me leve a mal, há coisas neste
mundo que provavelmente devemos banir,
mas elas normalmente são coisas que
envolvem uma pessoa ferrando com outra pessoa
numa muito substancial e inevitável maneira.

Por exemplo, não lembro quem disse,
mas há esta ótima citação sobre
meu direito de dar socos em sua cara.
Você percebe o que estou dizendo aqui?
Posso certamente fazer isso toda hora, (dar socos no ar)
desde que não esteja te afetando,
mas no segundo em que há contato
e seu crânio quebra em cinco mil pedaços
porque eu sou enormemente forte…
Aí é quando meu
direito de fazer isso acaba.

Você percebe o que eu estou dizendo?
Você entendeu?
Você está detectando a nuança deste argumento?

Gays estão ofendidos por fanáticos?
Ótimo.
Então gays não devem se juntar com fanáticos.

Fanáticos estão ofendidos pelos gays?
Ótimo.
Então fanáticos não devem se juntar com gays.

Mas quando gays dizem: “Nós vamos
passar leis contra discursos de ódio para
estes fanáticos dizendo coisas fanáticas.”

Isto é errado.

E similarmente, fanáticos não devem tentar legislar
sua merda equina em forma de emendas
constitucionais para banir o casamento gay.

É apenas merda de cavalo!

Há muitas pessoas por aí que acha que,
só porque homossexualidade os ofende,
eles podem dizer aos homossexuais o que fazer.

Acham que o fato de estarem ofendidos
faz o objeto de sua ofensa ficar devendo algo
para eles de alguma forma.

Mas não faz.

E adivinhem, todos vocês aí que estão tramando:
“Ele apoia o casamento gay, isso é maravilhoso.
Ótimo que ele está falando a favor do casamento gay.”

O mesmo argumento vale para poligamia,
que eu sei que não é nem de perto tão popular.
Mas se você quiser ser um cara que casa
com 50 mulheres, tenha os meios para fazer isso e
todas estejam concordando isto está ótimo.
Se você queiser casar com 50 caras, mesma coisa.

Qualquer contrato social em que você queira
se meter, está ótimo para mim.

Não me importo se isto ofende
99,9% das pessoas!

Se é uma coisa sua, e se é entre adultos
consentindo, não vejo como isso é assunto
de quaisquer destas pessoas.

A não ser que você esteja machucando alguém,
e contra sua vontade, veja bem.

Caso você esteja machucando
alguém, e contra sua vontade, então é
assunto das outras pessoas
pois temos de proteger os direitos de todos.

Mas para tirar seus direitos?
Isto não proteger os direitos de todos!

Temos que lembrar:
[temos que lembrar, temos que lembrar, temos que lembrar]

Estou sendo muito idealista aqui?
Sim, provavelmente estou.

Provavelmente estou sendo um pouco idealista
demais quando digo que seres humanos podem parar
de colocar suas ofensas num pedestal
e dizendo: “Yeah, assim é como as coisas
deveriam ser, pois estas são as coisas que eu
não gosto pessoalmente…
e tenho de legislar isto para todos os outros.”

Vamos continuar com nossas campanhas
para parar tudo e banir tudo,
até que tudo tenha parado e tudo tenha
sido banido.

Fizemos isso para Galileu,
quando sua descoberta científica
contradisse a Bíblia.

“Estamos ofendidos. PAREM-NO!”

Fizemos isso para J. D. Salinger,
quando seu livro foi ofensivo para nós.

“Oh, é ofensivo! Temos que banir isto!”

Temos que parar de parar coisas.
Temos que parar de banir coisas também.
Temos que perceber que, se você está
vivendo em um país onde alguém pode
dizer algo que te ofende,
isto significa que você também está
vivendo em um país onde você pode dizer
algo que ofende eles!

Queremos ser uma nação de surdos-mudos?
Ou queremos desenvolver pele mais grossa?
E dedos médios maiores? o===8


Como ler uma notícia sem ser bobo? 10 dicas!

Published by:

por André Luís Michels de Alcântara

Às vezes eu caio numa mentira. Quem não cai? Mas, existem pessoas que caem mais do que outras. Confiar nos outros é muito fácil e também é perigoso. Numa destas, você fica com cara de bobo e todos vão ficar rindo de você. Além do mais, isso mancha sua reputação (quando você começa a errar muito) e você começa a comprovar (pela frequência dos erros) que não é um cara muito esperto.

Hoje em dia, com tantos sites fajutos por aí, fica cada vez mais fácil cair numa pegadinha ou ser enganado por algum pseudo-jornalista que está afim de ver o circo pegar fogo. Está cheio de sites por aí, com nomes pretensiosos e com atitude pedante:

Português – Adjetivo – pe.dan.te
* Diz-se daquele que supõe saber mais do que realmente sabe;
* Pessoa que tenta se destacar demostrando conhecimentos ou qualidades superiores aos que realmente dispõe;
* Pessoa que exibe conhecimentos os quais não possui;
* Força a “barra” para parecer culto ou inteligente.

Ou seja, são sites que copiam notícias (verdadeiras ou falsas) e fazem de tudo para parecer que a origem da notícia são eles próprios e ficam com os méritos do trabalho alheio. Eles não citam as fontes originais as quais recorreram, sem dar méritos aos verdadeiros autores e tentam impedir você de fazer a mesma coisa que eles próprios fizeram: Ativam JavaScripts para que você não possa lhes copiar o texto.

Tendo em vista que há muita dificuldade das pessoas para reconhecer tais sites, segue abaixo um pequeno guia com dez dicas de como evitar cair nesta roubada. Seguindo estas dicas, ficará mais difícil de ser enganado novamente:

1) Verifique o URL (Uniform Resource Locator) do site

Qualquer bostão pode criar um site, inclusive eu: biucsproject.org
E eu posso escrever a porcariada que eu quiser sem nenhuma responsabilidade com a verdade. Então, entenda que um nome bonito não é sinal de credibilidade:

Envelope Capital, Retrato Do Poder, Papel Politico, Papel Social, Politica Na Web, Pragmatismo Diplomático, Reacionários, Transparência Diplomática, Folha Da População

Dê preferência por sites que você pode encontrar CNPJ, Nome e Sobrenome. Quando a Globo publica alguma besteira, ela é responsabilizada. Quando um site pedante publica uma besteira, tudo acaba em pizza. Exemplos como a UOL, G1, Folha, Estadão, Terra, Super Interessante e até mesmo o R7 são boas fontes de informações. Pelo menos eles contam com jornalistas profissionais. Entenda que o que diferencia Profissional de Amador é ter um salário. Se você não recebe pelo trabalho que está produzindo, você é um Amador. O profissional tem um compromisso, porque quem está pagando vai cobrar dele um desempenho que justifique o salário que está sendo pago.

PS: Cuidado com o siteSeu History“. Eles trabalham na linha da ambiguidade, de forma que você pode interpretar coisas erradas do que ler por lá. Eles também tem apenas o compromisso de expor as informações, mas muito do que eles dizem não é comprovado, apesar dos entrevistados dizerem que é.

2) Verifique se o texto que você está lendo tem um Autor

O Anonimato é vedado pela constituição. É Lei:

Art. 5º – IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/ConstituicaoCompilado.htm

O autor passa credibilidade quando ele se responsabiliza pelo que ele escreveu. É como um engenheiro que assina uma obra ou um médico que assina um atestado. Se o autor não aparece, certeza de que ele não tem compromisso com o que está divulgando, pois não assina em baixo. Você se sente confortável conversando com alguém de máscara?

3) Verifique a data do texto

Veja se o que você está lendo é notícia do ano passado. Muita gente divulga notícia de site sério e que parece que aconteceu agora. Você não se informou na época ou esqueceu que viu e vai achar que está acontecendo agora (Eu, burro, caí nisso duas vezes!). Se quiser um grau de segurança maior, procure saber também se a notícia não é ‘reciclada’ e apesar de estar carregando uma data nova, ela pode ter sido reaproveitada por um jornalista que estava sem novidade pra contar. Todo ano no portal G1 tem um jornalista que posta um artista que faz esculturas de monstros com abóboras, no Halloween.

4) Verifique se o autor do texto te oferece evidências

Procure por nomes, endereços, entre outras informações que permitam que você mesmo possa correr atrás do que foi divulgado e consiga verificar se aquilo ocorreu mesmo, seja em outros sites que estejam falando do mesmo assunto ou por outros meios, contactando algum envolvido no caso, site de especialista no assunto, etc. Tome cuidado e desconfie. Sempre há casos de muitos sites falando sobre o mesmo assunto, mas onde todos eles estão errados. O depoimento ou relato de um blog particular costuma ter pouca validade para comprovar um assunto. As pistas boas sempre vem acompanhadas de responsáveis: Pesquisa publicada por um cientista e não contestada pela maioria dos outros colegas da mesma área. Pesquisas que você pode observar o resultado e reproduzi-las por você mesmo. Use sua criatividade de detetive! Vá até o fundo e não se contente com as primeiras evidências que você encontrar. Elas podem ser falsas. Até mesmo sites com boa reputação costumam falhar de vez em quando.

5) Verifique se o autor cita fontes

O que você está lendo é imaginação do autor? Mentira? Ou é verdade? Ele está mesmo falando sério? Uma boa fonte de informação pode ajudar você a tirar estas dúvidas. Quando o autor quer comprovar o que ele está dizendo, ajuda muito se ele oferecer um link para um site que já fez a pesquisa por ele e provavelmente foi onde ele leu o assunto e tirou a idéia para escrever seu próprio post. Se o descrito no texto aconteceu mesmo, referências tem que ser dadas sobre a origem da informação: E-mails para contato e links de empresas ou sites conhecidos e confiáveis. Por exemplo, se o autor do texto disser que descobriram uma máquina anti-gravidade, junto com esta afirmação é bom ele colocar o link do produto junto com o nome da empresa que descobriu a engenhoca: Nasa, Boston Dynamics. Muitos podem, inclusive, já estar a venda, então você já aproveita e compra a novidade!

6) Escreva, “entre aspas”, um pedaço do texto no Google

Esta prática garante que você vai encontrar outros sites com o mesmo conteúdo. (Você também pode arrastar uma imagem para o Google e ele vai procurar todas as similares!) Fazendo uso desta estratégia, provavelmente você achará o autor original que foi plagiado (se o Anônimo que você está lendo não tiver postado as referências). Isso te ajuda a identificar se o site que você está lendo é um plagiador que quer ficar com todos os créditos para si. E se você comprovar que é plágio e sem divulgação dos verdadeiros créditos: Pare de entrar neste site, pois quem fuma maconha, financia o tráfico de drogas.

7) Verifique se outros sites de notícia falam sobre o assunto e se todos convergem para o mesmo consenso

Mesmo que você encontre a notícia do autor original, verifique se mais Jornalistas estão comentando sobre o assunto também. Se ninguém mais falou sobre aquilo, desconfie! Ninguém tem exclusividade na Internet. Quando há poucas fontes e focos de informação, isso indica que as pessoas já sacaram que a informação é falsa e não estão perdendo tempo com ela. Não perca seu tempo também!

8) Verifique se o site proíbe/dificulta você de copiar o texto que está lá, usando JavaScript

Bloquear o botão do mouse e impedir você de marcar o texto é uma forma de dificultar você de pesquisar sobre o assunto, fazendo você desistir de copiar e colar parte do texto no Google. Isso evita que você descubra o verdadeiro autor da notícia que o site está roubando. Como ele não quer ser descoberto/verificado, vai dificultar sua vida. Isso só funciona com quem tem dificuldade de operar o computador. Usuários mais experientes simplesmente desabilitam o JavaScript nestes sites. Então, quem perde tempo montando estes scripts de bloqueio está também zombando da sua capacidade!

9) Leia os comentários no Facebook

Às vezes, antes de ter todo esse trabalho das dicas acima, veja se alguém já não desmentiu isso nos comentários. Ou você vai comentar por cima e novamente vai posar de bobo.

10) Cuidado com sites de Piada

Existem sites que não tem a pretensão de ser notícia de verdade:

G17, JornalVDD, Sensacionalista, Xonei

Estes sites são para diversão, mas muita gente não entende a piada e acaba achando que é verdade. Certifique-se de que você não está caindo numa pegadinha. Isso pode pegar muito mal pra sua inteligência.


Ignorance is a bless…

Published by:

Do we have a deal, Mr. Reagan?

– You know. I know this steak does not exist… I know that when I put it in my mouth, the Matrix is telling my brain that it is juicy and delicious. After nine years you know what I realize? Ohhh… Ignorance is  bliss.

Then we have a deal?

– I don’t want remember nothing. NOTHING! You understand? And I wanna be rich. Someone important. Like an actor.

Whatever you want, Mr. Reagan.



Nós temos um acordo, Sr. Reagan?

– Você entende. Eu sei que este bife não existe… Eu sei que quando eu coloco ele na minha boca, a Matrix diz ao meu cérebro que ele é suculento e delicioso. Depois de nove anos, sabe o que eu descobri? Ohhh… Ignorância é  Felicidade!

Então temos um acordo?

– Eu não quero me lembrar de nada. NADA! Entendeu? E eu quero ser rico. Alguém importante. Tipo um ator.

O que desejar, Sr. Reagan.

Vincent Liopard. is a BIUCS Project.